Como ter relações de confiança em tempos de crise?

Publicado por erivaldocarneiro em

O líder espera que o liderado confie nele. E vice e versa. O(A) filho(a) quer que os pais confiem neles. E vice e versa. Os animais, também, desenvolvem uma relação de confiança com seus donos. Os(As) acadêmicos(as), além da pretensão de ter a confiança da comunidade em seus resultados, também, alguns deles, estudam as relações de confiança entre dos mais diversos relacionamentos. Alguns colegas estudam a confiança no contexto político. Outros nas relações conjugais. A lista é infinita.

No fundo, a essência da confiança vai ser a mesma e a palavra por si só, consegue ser auto explicativa.

Em algum momento nós quebramos a confiança de alguém. Ou quebraremos. Alguém quebrou a nossa confiança. Ou quebrará. Pelo mesmo motivo que a confiança foi quebrada, em outra relação ela é mantida. Isso também se aplica nas relações que são estabelecidas entre as empresas e seus clientes. É sobre isso que este artigo fala.

De antemão, já adianto que não existe uma regra para que a confiança exista. O que temos são alguns elementos que podem ajudar na construção de relacionamentos baseados na confiança. Aqui chamamos de antecedentes. Eles são frutos de uma pesquisa feita no Google Acadêmico. Existem vários deles por aí, mas quando falamos da relação empresa e consumidor, o compartilhamento de informação, a comunicação e a qualidade do produto ou serviço parecem manter confiança de pé.

São os antecedentes que garantem as relações de confiança, que em momentos de crise, como o que estamos parecem estar por um fio.

1 – Compartilhamento de informação

A informação é um dos aspectos mais relevantes quando as empresas falam de Confiança. Quem aqui nunca ficou (hashtag chateado) porque algum interlocutor não passou a informação correta e você precisou refazer um trabalho ou ligar novamente para que a informação fosse complementada? Sinto informá-los(las) que isso é só a ponta do iceberg de nome Informação.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Aspectos como o compartilhamento, a disponibilidade e a qualidade da informação que circula nos relacionamentos são os mais relevantes e a base para que a Informação cumpra com seu papel (que é informar).

Falando assim, parece um desafio. E é. Nunca tivemos tanta informação ao nosso dispor. A todo momento algo novo aparece. Nesse mar de informações, que todos os dias surfamos, as empresas precisam ter precisão cirúrgica do que vai colocar na rua. É preciso cuidar mais do que nunca da produção da informação. Um post equivocado pode causar um risco de imagem sem precedentes.

2 – Comunicação

Outro aspecto que aparece como importante nas relações pautados pela Confiança é a existência de Comunicação. Ela precisa ser clara! Se pararmos para observar, este elemento tem uma forte conexão com a Informação, pois, afinal, a gente não brinca de telefone sem fio nas empresas, não é? Não! E para que a Informação circule nas entre todos, uma comunicação efetiva, respeitosa e elegante deve ocorrer… Só um (parêntese) e uma (provocação).

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

A forma que estamos nos comunicando com os nossos interlocutores, sejam eles nossos colegas de trabalho, chefes, amigos e até mesmo nossos crushs, está seguindo essas premissas?

Em momentos de crise como o que estamos vivendo, percebemos que as empresas não possuem um plano de comunicação. Coisa básica, sabe? E na era das redes sociais, isso parece ficar mais evidente ainda.

3 – Qualidade do produto ou serviço

Por último, e não menos importante, apresento um aspecto que sempre (ou quase sempre) tira o sono de todo mundo que compra e/ou vende algum produto e/ou serviço, que é a qualidade destes. E como vocês (e eu) sabemos, a gente não gosta muito de comprar gato e receber lebre, confere?

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Eu mesmo fico bem irritado quando eu compro alguma coisa e a qualidade não está do jeito que eu imaginava ou esperava que fosse.

Perco a confiança, não compro mais e ainda critico a empresa que me entregou lebre quando havia prometido me entregar gato. As redes sociais estão aí pra isso. Neste momento as expectativas produto/serviço e desempenho não se casam com os resultados entregues e a gente levou um 7X1. Literalmente.

Se a gente observar, os três elementos falados aqui hoje, caso não ocorram nas relações entre as empresas, a confiança pode ser comprometida… Afinal, quem vai querer ser cliente, vendedor ou prestador de serviço de alguém que não compartilha informação (que informa de verdade), que não tem uma boa comunicação (para divulgar as informações) e que para lascar com tudo, não tem qualidade no produto ou serviço que entrega? 

E aí, como tem sido as relações de vocês durante esse tempo que estamos vivendo? Conta pra mim, deixa sua opinião nos comentários.

Processando…
Sucesso! Você está na lista.


erivaldocarneiro

Oi, eu sou Erivaldo Carneiro. Se quiser, me chamar de Eri, tá tudo certo. Sou um aspirante a escritor e em breve você poderá me ler em qualquer banca de rua entre carregadores de celular, revistas vencidas e cigarros baratos. Gosto de falar sobre tudo, mas a minha paixão é pela Metodologia Científica. Ela já salvou minha vida. Pode salvar a sua. Também.

0 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: