5 dicas para escrever o conteúdo acadêmico atrativo para o leitor

Publicado por erivaldocarneiro em

Desde que comecei a produzir conteúdo para internet, eu tenho participado de diversos grupos de escrita criativa e produção de conteúdo pela internet. São espaços de muita troca de informações, feedbacks e discussões.

Eles agregam uma galera boa e que contribui com o crescimento pessoal da gente. Minha missão tem sido deixar o conteúdo acadêmico mais simples

Num desses grupos, uma pessoa compartilhou um texto, pedindo que déssemos uma opinião sobre a publicação. 

Quando eu comecei a ler o texto, muito bom, por sinal, eu rapidamente identifiquei que ele tinha sido escrito por uma pessoa acadêmica. Ele era bem estruturado. Os parágrafos pareciam ter saído de um paper. Muitas referências, demonstrando uma boa pesquisa bibliográfica.

Acertei em cheio! Ao chegar no final do texto, as credenciais da pessoa atestavam sua formação. O texto, de fato tinha sido escrito por alguém da academia.

Ao ver o texto e entender quem era a pessoa, conversei com ela no privado e dei um feedback, que eu também quero compartilhar com você. Sendo acadêmico ou não, empregado ou desempregado, pode te ajudar a escrever melhor para o mundo da internet.

Muitas vezes, ficamos viciados na forma solene que temos que escrever para academia e perdemos nossa capacidade criativa. A boa notícia é que não é tão difícil mudar as lentes. Quer ver? Vem comigo!

1 – Você deve conhecer um pouco sobre escrita criativa, storytelling e/ou outras técnicas

 Ao final da jornada do doutorado, eu estava tão saturado de tudo, que a única coisa que eu lembrava, era dos agradecimentos. Eles foram fruto de um apagão criativo. Já contei sobre ele, aqui!

Quando acabei de defender a tese, não suportava olhar na cara de nada que fosse conteúdo acadêmico. Juro! Tive bode de tudo que havia escrito. Ainda tenho, às vezes, mas estou voltando aos poucos.

Assim que cheguei aqui em Brasólia, eu descobri um curso de Escrita Criativa. Não pensei duas vezes. Fiz a matrícula e entrei na aventura.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

No curso eu tive acesso a outras perspectivas de escrita. Outras formas de produção, outras estéticas. Eu estava cansado da fôrma acadêmica. E ela de mim, tenho certeza. Aí final do curso, já tinha rolado o detox.

Ter contato com o pessoal de diferentes áreas backgrounds da escrita me ajudou demais a esquecer um pouco da estética acadêmica.

Mas ele não foi suficiente.

Conclui que eu precisava mesmo era de descanso. De tudo! E assim eu fiz.

Quase um ano depois de finalizar a escrita da tese, já agora em março de 2019, comecei a publicar aqui na rede. Por aqui, descobri um monte de gente que me ajudou e tem me ajudado muito nesse processo de melhorar a escrita e na produção de conteúdo.

2 – Evite a estrutura dos artigos com conteúdo acadêmico

Escrever para o grande público, desacostumado com a estrutura dos artigos e do conteúdo acadêmico, é um desafio imenso. A leitura interrompida pelas referências, a sequência de informações obrigatórias de um artigo diminui o engajamento no texto.

Podemos usar toda estrutura no texto, sem anunciar que fizemos.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Nós, os ditos acadêmicos, somos viciados em conceitos, em referências. O que não é errado.

Na verdade, é uma obrigação termos o domínio teórico da área que somos experts. Mais ainda, o nosso texto precisa demonstrar que fomos bem fundo em nossas pesquisas. Precisamos saber quem publicou, o que e onde. Faz parte do ofício.

Se lá, precisamos escolher muito quais autores entram na conversa, imagina aqui fora. Devemos ser mais exigentes ainda.

3 – Evite citações no estilo acadêmico

Esqueça aquele padrão de citações APA, ABNT, Chicado e por aí vai. Elas tiram a beleza do texto aos olhos do mundo. Para que seu texto fique mais palatável, sugiro que você informe quem e em qual ano o conceito utilizado foi proposto durante o texto. Na figura a seguir, temos as clássicas citações.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Você poder ver um exemplo, aqui! Nesse texto, eu falei sobre o conceito de sustentabilidade, falei do autor e falei em qual ano ele foi proposto. As referências estão lá e eu não posso ser acusado de plágio.

Fica mais palatável para quem lê, não fica? E o melhor, você não está plagiando.

Só para exemplificar, em um trabalho acadêmico, eu colocaria (Elkington, 1994). Aqui no texto, para o mundo real, eu prefiro falar do conceito, dizer quem fez e o ano que conceito foi proposto no meio do texto.

4 – Racionalize os conceitos que vai utilizar

Você não precisa apresentar os mil conceitos que existem para um determinado assunto, a não ser que esse seja o foco do texto. Privilegie o principal autor, o que propôs o conceito mais conhecido.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Caso o conceito tenha evoluído e seja o utilizado no momento, parta para o conceito atual, direto. Poupe o tempo do leitor. Se ele está te lendo, ele reconhece em você alguma autoridade. Você não precisa mostrar que fez uma pesquisa e leu todos os artigos do Google Acadêmico.

5 – No mundo da internet, você faz as regras

A linguagem acadêmica é travada pelas regras que precisamos seguir. Não estou dizendo que devemos abandonar as regras que aprendemos. Muito pelo contrário. Elas fazem sentido quando escrevemos um paper para uma revista acadêmica. No mundo de lá.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Photo by Dmitry Ratushny on Unsplash

Aqui fora, pode ser útil fazer alguns ajustes na forma como você escreve. Isso pode te ajudar aumentar a sua audiência. Vamos lá?

5.1 – Esqueça aquela ideia de parágrafos longos, com muitas frases e períodos. Seja prático no que vai dizer. Isso facilita a leitura em telas menores, como por exemplo o celular. 

5.2 – Vá direto ao ponto. Não enrole seu leitor.

5.3 – Use títulos leves. Um exemplo muito bom pode ser visto no perfil de Professor Marcos Kalinowski compartilhou na rede um artigo acadêmico que ele e mais uma equipe de professores do mundo todo publicou.

Pelo que ele escreveu, qualquer pessoa consegue entender sobre o que foi e quais os resultados obtidos no artigo. Você pode ver o post aqui! Mais ainda, o próprio título do artigo acadêmico, que tinha tudo para ser complexo, é de uma simplicidade absurda.

5.4 – Coloque sua voz no texto. Sei que consegui fazer isso, quando algum amigo leu minha produção e diz que enquanto lia, escutou minha voz. Após um tempo, seu leitor também vai te conhecer pela voz.  

Um rápido up date e um reconhecimento para quem tem me ajudado desde que comecei a produzir conteúdo para internet

Um foi o “Curso Escrita Criativa e Storytelling” de Dimitri Vieira e o outro foi o de “Marketing Pessoal e Produção de Conteúdo no LinkedIn” de Matheus de Souza.

Link curso de Matheus está aqui! e o link curso de Dimitri, que no momento está com inscrições encerradas, está aqui!

Os dois cursos são muito bons e complementares. Eles realmente me ajudaram e têm me ajudado desde que entrei pro mundo de cá. Caso tenha ficado com vontade de conhecer sobre os cursos, dá uma olhada. Bate um papo com eles.

Por fim, costumo dizer que quem escreve quer ser lido. É com este propósito que você escrever e publica. Então, vamos fazer de uma forma mais leve? Tem mais alguma estratégia para tornar seu conteúdo acadêmico mais atrativo para o grande público? Conta pra mim aí nos comentários.


erivaldocarneiro

Oi, eu sou Erivaldo Carneiro. Se quiser, me chamar de Eri, tá tudo certo. Sou um aspirante a escritor e em breve você poderá me ler em qualquer banca de rua entre carregadores de celular, revistas vencidas e cigarros baratos. Gosto de falar sobre tudo, mas a minha paixão é pela Metodologia Científica. Ela já salvou minha vida. Pode salvar a sua. Também.

2 comentários

Roraima · 05/06/2020 às 11:15

Olá erivaldocarneiro. Obrigado por esse texto. Não lembro como cheguei aqui, mas lembro que foi o título que me chamou atenção.
Acabei de completar o doutorado também e estou editando um livro (ja publicado), com outras colegas. Nosso desafio maior é fazer essa mudança do mundo acadêmico para o mundo público (sem ser o acadêmico). Suas dicas com certeza me levantaram a atenção para algumas coisas pretendo mudar no texto final. Aliás, o seu ponto 5 tenho tentado aplicar inclusive nos papers acadêmicos, pois também tornam a leitura mais fluente e prazerosa. Eu tinha o hábito de escrever longas sentenças e parágrafos. Agora procuro deixar bem enxuto e direto.

Parabéns e obrigado.

    erivaldocarneiro · 05/06/2020 às 15:21

    Colega,

    Eu fico feliz demais com a sua contribuição. Mais ainda, que o que eu escrevi, fez sentido. Fiquei curioso em conhecer sobre o livro. Caso tenha interesse, podemos falar sobre o assunto. Fala comigo pelo e-mail erivaldo_carneiro@yahoo.com.br

    Eri

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: