Como você pode ajudar a combater o aquecimento global

Publicado por erivaldocarneiro em

O combate aos riscos climáticos diz respeito, também, às nossas escolhas enquanto seres humanos em sua individualidade e como estas impactam o meio em que vivemos.

Mais ainda, como as escolhas se relacionam com o meio ambiente, com os nossos vizinhos e até mesmo com os nossos governos.

Eu sei, governos em geral, a gente não pode contar. Quero te dizer, que infelizmente para que a nossa ação individual, como pessoa física, tenha algum efeito, precisamos dos governos.

E eu, pessoa física, como posso ajudar?

A primeira coisa que devemos pensar é em reduzir a pegada de carbono de nossas atividades. Já expliquei como isso pode ser feito e o que significa em outro artigo!

Também podemos mudar nosso comportamento no que diz respeito à forma como comemos, principalmente carne bovina, o padrão de consumo, a forma como viajamos a trabalho e por aí vai…

Estamos no meio de uma pandemia, que parece não ter fim no Brasil.

Parece cloroquina, mas é só tristeza.

Gosto muito desse mapinha que a Nasa fez um tempo atrás, comparando a emissão de gás metano entre os animais, incluindo os humanos. Só para você ter uma ideia, o metano e 20 vezes mais problemático do que o CO2.

Adivinha quem é o maior vilão da emergência climática? A carne bovina que botamos no prato.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Embora os dados do infográfico sejam de 2009, a referência a cada uma das atividades reflete algo que todos sabemos. A pecuária bovina é a grande vilã! Adivinha onde está a grande produção de carne brasileira? Na Amazônia!

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

A agropecuária bovina, segue ocupando o posto de vilã. Por isso, movimentos como a Segunda sem Carne cada vez mais tem ganhado adeptos ao redor do mundo. Até Paul McCartney segue essa tendência mundial. Olha só cara dele nos convidando a aderir ao movimento?

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Todos nós, os que possuem algum poder de escolha, pautada pelo poder econômico, podemos e devemos rever a forma como consumimos. Só para lembrar, tem gente, que neste momento, não tem o que comer.

E aí, você deve estar pensando “o que eu tenho a ver com essa história” de reduzir a temperatura da Terra?

Tudo!

Para começar, é preciso que pensemos em formas de reduzir a pegada de carbono do que é produzido e consumido. Parece óbvio, mas para muita gente, não é. Escolher produtos que consumiram menos recursos na produção já é uma forma de reduzir a pegada.

Parece uma coisa difícil, mas se você reparar, não é.

Uma das formas, por exemplo de ajudar a reduzir a temperatura da Terra, é cobrando do Governo Genocida de Bolsonaro, que tem como Ministro do Meio Ambiente a pessoa menos indicado para o cargo, cumprir o Acordo de Paris.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Bolo Cremoso de Fubá

Ingredientes

  • 2 copos (americano) de açúcar
  • 1 copo (americano) de fubá
  • 3 ovos
  • 3 colheres (sopa) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de margarina
  • 3 copos de leite
  • 1 pacote de 50 g de queijo ralado
  • 1 colher (sopa) de fermento

Modo de fazer

  1. Bata tudo no liquidificador.
  2. Leve ao forno médio, preaquecido, por aproximadamente 40 minutos, ou até dourar.

… porque só fala de COVID e ir passando a boiada e mudando todo o regramento e simplificando normas.


erivaldocarneiro

Oi, eu sou Erivaldo Carneiro. Se quiser, me chamar de Eri, tá tudo certo. Sou um aspirante a escritor e em breve você poderá me ler em qualquer banca de rua entre carregadores de celular, revistas vencidas e cigarros baratos. Gosto de falar sobre tudo, mas a minha paixão é pela Metodologia Científica. Ela já salvou minha vida. Pode salvar a sua. Também.

0 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: