Guia rápido para pessoas acadêmicas (ou não) começar a produzir conteúdo na internet

Publicado por erivaldocarneiro em

Comecei escrever para internet em março deste ano. Esta decisão se deu muito pelo desejo de exercitar minha Missão:

Compartilhar Aprendizados.

Como acadêmico, professor e trabalhador do mercado financeiro, percebi que após quase 20 anos acumulando experiências, era hora de perder o medo e me jogar no mundo da internet.

Sim, acredite, eu tinha medo de escrever para internet.

Pior, acreditava que a internet não era pra mim. Quem já se viu, virar blogueiro?

Outra conclusão que cheguei é que acadêmicos se comunicam pouco com a sociedade. Os artigos acadêmicos não chegam para a grande massa. Portanto, o conhecimento fica restrito nas bolhas.

Apenas um pequeno grupo de pessoas privilegiadas possuem acesso a tal conhecimento. Às vezes, quando um assunto salta muito aos olhos da grande mídia, ele vira um reportagem jornalística. Mas não é regra.

E, definitivamente, é preciso (urgente) que nós, pessoas acadêmicas, ocupemos espaços on-line. Precisamos sair do mode academiquês (até escrevi um artigo sobre isso, AQUI!) e partir para o internetês desde ontem.

Pensando justamente em te ajudar a tomar coragem e começar a desbravar esse mundo, a seguir te dou direcionamentos para que você perca a vergonha e comece a compartilhar seus conhecimentos.

Vamos a elas?

1 – Escreva sobre o que você sabe e gosta de falar

Umas das principais dúvidas que todo mundo tem quando decide a começar escrever na internet é sobre o que vai falar.

Diria que por trás da dúvida, existe o medo de se expor, mas isso é assunto pra outro artigo.

Essa questão de saber sobre o que escrever, no caso de pessoas que passaram por um mestrado ou doutorado e possuem afinidade com o tema de pesquisa, é fácil de ser resolvida. O assunto para falar já está pronto.

Para começo de conversa, não pense em reinventar a roda! Pelo amor das Deusas!

Mas você deve estar pensando: Ah, Eri, meu assunto de pesquisa não é interessante…

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Me fala melhor sobre isso do teu assunto e pesquisa não ser interessante…

Tu passa horas do teu dia lendo e estudando sobre algo que não é interessante? Como assim?

As razões pelas quais as pessoas deveriam se interessar pelo teu tema de pesquisa já seriam um bom exemplo de por onde você deveria começar a produzir conteúdo. #FicaDica

Uma palavra para Vossa Senhoria:

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Pense na experiência que você vem acumulada ao longo da vida. É coisa pra caramba, não é? Sei que é! Então, #PartiuCompartilhar?

Uma pessoa que amo e que pode ajudar você a pensar no assunto, é minha BFF e musa inspiradora, Mariana Santa Ritta! Dá um pulo no perfil dela e segue essa Deusa. Caso esteja com preguiça de ir no perfil, uma olhada neste artigo, já vai te ajudar, e muito, a pensar no assunto!

Para você se situar, vou te dar meu exemplo:

Eu sou uma miscelânea de coisas:

  • Doutorado em Administração, com tese relacionada a Sustentabilidade (meu tema de pesquisa principal) e cadeia de suprimentos;
  • Trabalho no mercado financeiro há 15 anos;
  • Atuo como professor visitante no Curso de Administração da UnB;
  • Curto tudo relacionado com Metodologia Científica;
  • Me descobri escritor quando comecei a produzir conteúdo para internet; e
  • Estou me descobrindo empreendedor na área de sustentabilidade ao fundar uma startup.

Poderia ficar o resto da vida falando coisas sobre o que me interessa, mas estes assuntos são os que me movem, no momento.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Todos esses “gostos”, atuação e conhecimentos, naturalmente me deixam confortável para falar sobre Sustentabilidade, Mundo Acadêmico, sobre a minha Experiência de 15 anos no Mercado Financeiro e como pessoas da academia podem começar a produzir conteúdo para internet.

Então, nada mais óbvio que fale sobre eles. Se você olhar, quase tudo que publico por aqui, vai ver que circula ao redor dessas temáticas.

2 – Escolha para quem os seus conteúdos serão direcionados

Após a escolha do o assunto (ou assuntos), é muito importante que você saiba para quem e com quem você vai dialogar. Pensar nisto é importante para que você alinhe vocabulário e imagine como você vai se comunicar.

Só pra lembrar, no ambiente da internet, você tem mais liberdade poética e pode deixar sua criatividade aflorar com mais tranquilidade.

Por isso, te proponho um exercício simples:

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

=> Imagine, que você está aplicando um questionário demográfico na sua audiência. (Quero te lembrar que se você tem 10 conexões, você já tem uma audiência)

FAZ UMA PAUSA… IMAGINA OS DADOS OBTIDOS NA PESQUISA.

=> Após isso, tenta visualizar quem seriam as pessoas que se interessariam no assunto que você manja.

IMAGINOU?

Pois é! Quero dizer, que você já tem o seu público.

Pode parecer um exercício simplista. Sim, ele é! A intenção é justamente essa.

Com o passar do tempo, você vai perceber que à medida que as pessoas chegam no teu perfil, tua noção de quem é a tua audiência vai ficando mais clara.

À medida que as pessoas chegam nos meus conteúdos, é possível descobrir mais sobre elas. No caso do LinkedIn, o título da pessoa diz muito sobre quem ela é, quais os possíveis interesses.

Veja um exemplo:

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Maria Vitória, além de minha amiga e mentora espiritual (coitada dela), é escritora, editora (das boas) e redatora de conteúdo. Percebeu o título dela? Pois é! Aí está sua mina de ouro!

No caso da minha audiência, ela é formada por TRÊS GRANDES PÚBLICOS:

  • Pessoas que se interessam por sustentabilidade;
  • Pesquisadores(as) e cientistas das mais diversas áreas do conhecimento;
  • Produtores de conteúdo;

E mais recentemente, empreendedores e pessoas que se interessam por startups, começaram a aparecer por causa da NullCarbon..

Lá atrás, quando começcei a escrever na e para internet, não fazia mínima ideia da audiência. Quem eram as pessoas que me seguiam.

Com o passar do tempo e a produção de conteúdo nos meus temas favoritos, elas foram se achegando no meu perfil e no meu coração. Não vivo mais sem e já estão formando uma grande família!

3 – Você precisa criar um blog!

Não torce o bico, heim?

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Sim, é isso mesmo, amore! Sugiro que você tenha um blog pra chamar de seu. Todinho seu! Sabe porque? As redes sociais são espaços que não nos pertencem.

Tá, sei, você tá pensando se você vai virar uma blogueira ou blogueiro?

Sim, vai! E nem adianta fazer essa carinha de crítica aos blogueiros!

Só pra te lembrar, as pessoas que não acrescentam nada ao mundo estão se comunicando muito mais que nós, sabe por onde? Via blogs e redes sociais.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

A ignorância e o negacionismo estão ganhando por uma grande razão:

Quem deveria estar falando, tem ficado calado!

Me arrependo de poucas coisas na vida e uma delas é não ter começado a marcar minha presença digital profissional lá atrás. Não ter criado um blog antes é um dos arrependimentos!

Mas voltando às vacas frias… Em essência, todo mundo que está na internet, é blogueire. O fato é que pessoas da academia, tendem a ser preconceituosas com a produção do conhecimento que não é aquela dos periódicos.

Tá na hora de mudar esse quadro, não está?

O que tenho aprendido até aqui…

Tenho conhecido gente disposta a interagir e que realmente está disposta a ajudar. Também tenho aprendido muito. Só pra lembrar, quando a gente ensina, aprendemos. Até já falei sobre isso num artigo.

Escrever para internet tem sido um exercício para a minha criatividade.

E por incrível que pareça, começar a escrever para internet, melhorou a minha comunicação e até a minha escrita acadêmica. Por falar nisso, deixa eu voltar aqui, que uma publicação internacional não se produz sozinha!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

erivaldocarneiro

Oi, eu sou Erivaldo Carneiro. Se quiser, me chamar de Eri, tá tudo certo. Sou um aspirante a escritor e em breve você poderá me ler em qualquer banca de rua entre carregadores de celular, revistas vencidas e cigarros baratos. Gosto de falar sobre tudo, mas a minha paixão é pela Metodologia Científica. Ela já salvou minha vida. Pode salvar a sua. Também.

0 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: