E se não fosse a pandemia, as coisas seriam diferentes?

Após quase 5 meses de isolamento social, é inegável que os efeitos da falta de convivência já comecem a aparecer em toda população.

Somado ao número crescente de casos e desemprego, temos uma crise política. É tensão por toda parte, exigindo de todos vigilância na saúde física e mental.

No artigo de hoje, compartilho um pouco sobre como me afetado por todo o contexto que nós, brasileiros estamos inseridos.

Espero que goste e caso queria contar sua experiência, vai ser muito legal criarmos essa corrente de compartilhar nossos sentimentos.

Ei, você de cor branca, esse artigo é para você! Que tal assumir o nosso racismo?

“Eu vejo mais indignação com a morte de um cachorro do que de um jovem preto”!

Essa é a face da branquitude que mais me indigno.

Temos uma seletividade do que vai nos comover.

E nesse caso, o cachorro tem mais valor.

Nós, pessoas de pele branca, precisamos nos assumir racistas.

Mais que isso, precisamos nos engajar na luta contra o racismo. E assumir nossos privilégios é o começo.

É sobre isso que meu artigo de hoje fala. Espero que goste!

Você não precisa de um propósito de vida pra ser feliz

Desde que o propósito começou a aparecer como algo a ser encontrado, o mundo foi separado em dois grupos.

Em um, pessoas que tem propósito e trabalham com o que ama. No outro, pessoas que não tem propósito e trabalham para pagar boletos.

Desde então, a sensação de muita gente é “preciso encontrar seu propósito para ser feliz no trabalho”. E o pior, o combo propósito, trabalho e felicidade são coisas mutuamente conectadas.

Engano!

Felicidade e propósito são coisas bem diferentes. Nem entro nessa seara conceitual, mas mostro para você que tudo bem você não ter propósito. Viver é muito mais que isso!